Voar com Pneumothorax

No caso de um pneumotórax, entra ar no chamado espaço pleural entre o pulmão e a parede torácica. Este ar impede a expansão de um ou dos dois pulmões e, por conseguinte, a respiração. Um pneumotórax grave pode ser fatal. Isso é frequentemente desencadeado por ferimentos na zona do tórax – por exemplo após um acidente automóvel.

As diferenças de pressão, às quais o corpo é sujeito em voos, podem influenciar negativamente um pneumotórax. Por isso, coloca-se frequentemente a questão se é sequer possível realizar uma viagem de avião sem qualquer risco no caso de um pneumotórax. Nós esclarecemos que tipo de problemas podem ocorrer e em que circunstâncias a viagem pode ser feita. Mas, para já, a boa notícia: Perante as condições certas, é possível voar com pneumotórax.

Avião comercial com pneumotórax?

Num avião à altitude de cruzeiro, a pressão do ar é idêntica à que existe no pico de uma montanha com 2.400 metros de altura. Esta notável diferença em relação ao nível do solo pode fazer expandir inclusões de ar no espaço pleural, piorando um pneumotórax já existente. Por isso, desaconselha-se normalmente, a viagem em aviões comerciais quando se tem pneumotórax agudo.

Pouco tempo depois de um tratamento bem-sucedido persiste a dúvida sobre quando o paciente estará apto para voltar a voar. Nas suas diretivas de 2003, a Aerospace Medical Association Medical Guidelines Task Force recomenda um período de duas a três semanas até poder voltar a voar após um tratamento eficaz de pneumotórax.

Um grupo de investigadores britânicos recomendou em 2011 um período de espera de pelo menos uma semana após a cura eficaz de pneumotórax. Quando o pneumotórax é causado por um ferimento, os investigadores já aconselhavam um período de duas semanas.

Avião-ambulância com pneumotórax

Fica, assim, excluída a hipótese do transporte em avião comercial num caso de pneumotórax agudo ou recentemente tratado, sendo porém perfeitamente viável num avião-ambulância. Um avião-ambulância desse tipo é frequentemente disponibilizado unicamente para um único paciente. A bordo vai um médico de avião experiente com a sua equipa para garantir a segurança médica. O equipamento médico do avião-ambulância corresponde mais ou menos ao equipamento de uma moderna estação de cuidados intensivos, de modo a assegurar o melhor acompanhamento possível do paciente.

O motivo decisivo que possibilita a viagem em avião-ambulância com pneumotórax é a adaptação à pressão para bem do paciente: Um avião-ambulância pode, mediante uma altura de voo reduzida e com medidas técnicas, regular a pressão de cabine de modo a não constituir nenhuma diferença em relação ao nível do solo. Graças a este chamado voo Sea Level, não se verificam as inclusões de ar no espaço pleural e o pneumotórax não piora.

Regresso seguro no caso de pneumotórax nas férias

Quem sofreu no seu país natal um pneumotórax provavelmente vai querer adiar as viagens futuras, para se poder concentrar totalmente na sua recuperação. Porém, o caso é muito diferente quando o paciente já se encontra em férias e sofre um pneumotórax. Se forem precisas medidas agudas para estabilizar, estas têm de ser naturalmente realizadas no estrangeiro. Mas normalmente os pacientes desejam continuar o tratamento e a recuperação na sua terra natal e querem, para isso, regressar rapidamente. No seu país natal, os pacientes têm expetativas de melhores condições médicas, a comunicação com o pessoal clínico é naturalmente melhor, já para não falar da presença da família e dos amigos.

Quando o paciente não quiser esperar por um voo comercial que não levante problemas médicos, só resta recorrer a um avião-ambulância. Este está normalmente disponível em todo o mundo ainda no próprio dia ou no dia seguinte e permite um transporte seguro do paciente. Além disso, é bem mais pequeno do que um avião comercial e, por conseguinte, não está dependente de grandes aeroportos. Pode recorrer a aeroportos regionais próximos do paciente, reduzindo assim substancialmente o tempo dos transportes terrestres.

O seguro paga o voo de regresso?

Os custos de um avião-ambulância são suportados pelo seguro de doença no estrangeiro. Quem não possuir um seguro desses, terá de suportar os custos. Mas mesmo o seguro de doença no estrangeiro pode não garantir a assunção dos custos. Antes de mais, o seguro vai verificar, em cada caso, se o paciente pode tratar o pneumotórax no próprio local onde se encontra.

  • Se o paciente não puder ser devidamente tratado no local, estamos perante um voo de regresso necessário em termos médicos. Neste caso, o seguro de doença no estrangeiro costuma assumir os custos.
  • E se o tratamento for possível no país onde se encontra, mas o mesmo promete melhores resultados no país natal? Trata-se, neste caso, de um regresso com motivos razoáveis do ponto de vista médico. Alguns seguros assumem também neste caso os custos. Convém analisar a apólice de seguro.
  • Se estivermos perante um caso que do ponto de vista médico não é necessário nem razoável, o seguro não assume os custos do transporte de regresso.

Quanto custa o voo de regresso no avião-ambulância?

Quando os custos de um avião-ambulância não são suportados pelo seguro, eles são da responsabilidade da pessoa particular. Neste caso, podemos apresentar-lhe uma proposta individual sem compromisso. Temos em conta o percurso do voo e o número de acompanhantes pretendido. A urgência do pedido também influencia o preço: No caso de pedidos com pouca antecedência, poderá ter de ser usado um avião-ambulância mais distante para transportar o paciente com pneumotórax, o que implica um voo de posicionamento mais comprido e, por conseguinte, mais caro.

Nas melhores mãos com a Central de ambulância aérea

Na Central de ambulância aérea está nas melhores mãos, quando você ou um familiar seu precisar de transportar um paciente com pneumotórax. A nossa equipa experiente facilita-lhe o trabalho logo na preparação do voo. Em quase todas as situações, nós conseguimos comunicar na língua-mãe com os médicos no local, superando assim as barreiras linguísticas. Os nossos aviões-ambulância são rapidamente disponibilizados em todo o mundo, de modo que o paciente com pneumotórax possa iniciar o seu regresso sem atrasos desnecessários.

Graças ao nosso serviço cama a cama, podemos propor-lhe uma transferência do paciente completa. Nós vamos buscar o paciente com uma ambulância ao local onde ele se encontra e levamo-lo pontualmente para o aeroporto. Assim que aterrar no país natal, haverá uma ambulância à espera para transportar o paciente em segurança para o hospital de destino. Naturalmente que todos os transportes terrestres são realizados com acompanhamento médico. Como coordenamos todos os tempos de recolha e de entrega, conseguimos excluir atrasos desnecessários. Deste modo, transportamos também pacientes com pneumotórax de forma segura, rápida e eficaz

Tem mais perguntas?

Se tiver mais perguntas sobre os aviões-ambulância e a respetiva organização, recomendamos que leia as nossas FAQ.

Entre em contacto connosco

Nós somos um parceiro experiente no transporte de regresso de doentes com pneumotórax. A nossa equipa está disponível diariamente e a toda a hora para um aconselhamento gratuito. Entre em contacto connosco:

Voltar para a visão geral